Prémio para as Ciências Sociais e Humanas

Atualizado: Seg, 06 Dez 2021 16:22:03 +0000

Neste ano de 2021, foram rececionadas 15 candidaturas para o Prémio para as Ciências Sociais e Humanas.

Prémio para as Ciências Sociais e Humanas – atribuído ao trabalho “Inclusão Social: Avaliação da Acessibilidade em Equipamentos Sociais. Um Estudo de Caso”, de Luís Ricardo Silva Montez Vicente (dissertação de mestrado).

Os estudos existentes na área das acessibilidades nos espaços de restauração são praticamente inexistentes a nível mundial, sendo que podemos encontrar alguns, mas geralmente sempre focados numa determinada população e/ou deficiência.
Com esta investigação pretendeu-se analisar e avaliar as acessibilidades de um restaurante, não só a nível arquitetónico, mas também ao nível do atendimento, à forma de comunicar, o tipo de instrumentos (p.e. talheres ou copos) utilizados e verificar a existência de alternativas, a comunicação digital e alguns aspetos sensoriais.

Este trabalho destaca-se pelas seguintes dimensões:

  • Abordar a acessibilidade nos seus diferentes domínios, designadamente acessibilidade espaço físico, à comunicação e informação, bem como o atendimento inclusivo,
  • Ter incluído participantes com diferentes deficiências, pessoas com deficiência visual, auditiva, intelectual e motora, o que permitiu garantir uma complementaridade de contributos e sugestão de adaptações, muito transversal,
  • Disponibilizar um conjunto de check lists, oferecendo-se como um produto de fácil replicação em diferentes contextos.

 

1ª Menção Honrosa atribuída ao trabalho “Reaprender a Viver - Trajetórias, aprendizagens e identidades de adultos com deficiência adquirida”, de Maria Benedita da Maia Lima (tese de doutoramento).

Trabalho de investigação sobre a realidade da deficiência e da inclusão, abordando uma área temática pouco explorada cientificamente, a da deficiência adquirida, encontrando respostas originais e fidedignas para os problemas colocados, através de rigorosa abordagem teórico-metodológica. Os resultados encontrados permitem identificar perspetivas diversas de encarar a deficiência adquirida, quer pelo próprio, quer pelos outros, com impacto na forma de a vivenciar e de participar na sociedade, que podem ser exploradas com vista a diminuir as barreiras sociais, culturais, comportamentais e físicas existentes, promovendo a igualdade de oportunidades e os direitos das pessoas confrontadas com esta situação.

Este trabalho destaca-se pelas seguintes dimensões:

  • Abranger a realidade da deficiência adquirida, área temática pouco explorada cientificamente, abordando de forma transversal as diferentes áreas de vida da pessoa, na tarefa de reconstituir eficazmente a sua vida, desde a formação profissional e emprego, qualidade de vida, família, até às questões de identidade,
  • Por incluir as pessoas com deficiência adquirida, analisando como é que adultos, confrontados com esta situação, reaprendem a viver a partir do seu próprio olhar, identificando trajetórias, vivências e identidades construídas após a aquisição da deficiência,
  • Apresentar um modelo de reabilitação para as pessoas com deficiência adquirida, que seja holístico e inserido na comunidade, articulando os diferentes serviços.

 

2ª Menção Honrosa a “A “Verdadeira Limitação”: Um Estudo sobre a (Re)Inserção Profissional de Pessoas Com Deficiência Motora”, de Maria João Pera Ramalho Figueiredo (dissertação de mestrado).

O aspeto inovador deste estudo reside na metodologia utilizada, que considera, em simultâneo, o ponto de vista dos diferentes interlocutores, que intervêm no processo de recrutamento e seleção de pessoas com deficiência em contextos de trabalho (pessoas com deficiência motora, as empresas, as instituições de solidariedade social, as empresas de recrutamento). Este estudo permite um conhecimento aprofundado sobre esta realidade em Portugal, bem como a identificação de pistas de ação concretas que contribuem para a promoção de igualdade de oportunidades da pessoa com deficiência no acesso ao emprego.

Este trabalho destaca-se pelas seguintes dimensões:

  • Por incluir como participantes as próprias pessoas com deficiência motora,
  • Por abordar as questões não só do acesso ao emprego, mas também da manutenção e progressão no emprego,
  • Por identificar um conjunto de ação concretas que contribuem para a promoção de igualdade de oportunidades da pessoa com deficiência no acesso ao emprego. 

O Prémio para as Ciências Sociais e Humanas distingue o trabalho académico que, mais contribua para a produção de conhecimento sobre deficiência e inclusão, de acordo com os objetivos do prémio:

  • Incentivar os/as estudantes dos graus de ensino superior de mestrado e de doutoramento para a investigação e a produção de conhecimento sobre deficiência e inclusão, através da realização de trabalhos académicos, na área das ciências sociais e humanas;
  • Combater a discriminação em razão da deficiência e promover a igualdade de oportunidades e a cidadania das pessoas com deficiência;
  • Diminuir o impacto das barreiras sociais, culturais, comportamentais e físicas na inclusão e participação das pessoas com deficiência;
  • Promover os direitos consagrados na Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência.

 

O 1.º Prémio, no valor de 5.000 euros, é atribuído pelo INR. Os vencedores deste Prémio, bem como as Menções Honrosas, recebem também uma peça de arte oferecida pelo CEFPI - Centro de Educação e Formação Profissional Integrada.

Documentos disponíveis para descarregar